quinta-feira, 11 de Dezembro de 2008

Curiosidades da Raia: Marco/El Marco

Uma das coisas que tem a Raia são as curiosidades fronteiriças que lá podemos encontrar. Hoje vamos falar no caso das duas aldeias gémeas (realmente são uma única aldeia) com a particularidade de estarem separadas pela fronteira, um riacho conhecido como Ribeira de Abrilongo.

A aldeia do Marco é uma aldeia que faz parte da freguesia de Esperança, no concelho de Arronches, enquanto a aldeia de El Marco é uma freguesia do concelho de La Codosera (Badajoz). A particularidade desta aldeia geminada não é o facto de estar situada na fronteira. Aldeias na fronteira há muitas, mas todas têm esse pormenor que as diferencia umas das outras. Até a criação de uma estrada de ligação entre ambos os dois países, a única comunicação possível foi uma pequena ponte sobre a Ribeira de Abrilongo.

Lá, na parte portuguesa da aldeia existe um marco fronteiriço, o 713-B, colocado na sequência do Tratado de Limites de Lisboa de 1864. Como todos os marcos fronteiriços, a parte de Portugal fica na direcção dos lados de Portugal e a parte de Espanha para os lados de lá. No entanto, o português é a língua normal de comunicação nesta região. Como veremos em outro post que indexarei mais adiante, segundo as circunstâncias o permitam, esta região foi uma região de colonização de camponeses alentejanos, nomeadamente no último quartel do século XIX, abrangendo grande parte do território do concelho ou ayuntamiento de La Codosera, que nos permite falar de uma Extremadura portuguesa ou alentejana ou de um Alentejo espanhol ou extremenho. Não admira, pois, que o casario tradicional, salvando as distâncias de uma ou outra influência, seja plenamente alentejano, mesmo nestas aldeias territorialmente espanholas.

A ponte tradicional era uma ponte de chapa com uma varanda, que veio ser substituída por uma nova ponte em madeira, muito mais larga e mais moderna, conforme pode ser visto nas fotografias adjuntas. De resto, a aldeia, ao contrário que as aldeias alentejanas tradicionais, fica um bocado dispersa entre os campos adjacentes, sendo que o núcleo fundamental é o apresentado no mapa e que fica no mesmo limite fronteiriço. No entanto, existem muitas outras casas nas redondezas num rádio de um quilómetro.

A agricultura, sobre tudo a oliveira, continua a ser muito importante, tal como o comércio, tanto na parte portuguesa como a espanhola, com duas lojas de venda à retalho de relógios, toalhas, candeeiros, faqueiros, etc., direccionados claramente para um cliente espanhol que procura em Portugal bons produtos a preços mais reduzidos. Existe também algum café e posto dos correios, mas a sensação é claramente de um lugar rural, pouco desenvolvido e sem muita movimentação, se bem que os contactos transfronteiriços são muito intensos já que os matrimónios mistos são muito frequentes e pela proximidade, para além da oportunidade de comprar produtos que são mais baratos de um e de outro lado da fronteira. Afinal, nem tudo tem de ser mau...

Por outro lado, a aldeia fica integrada (no que respeita à parte portuguesa) no Parque Natural da Serra de São Mamede, sendo que pode ser um bom ponto de partida para fazer excursões pela serra, tanto na sua parte portuguesa como espanhola, e descobrir uma herança portuguesa muito desconhecida para os portugueses, mas também para os espanhóis, das terras espanholas vizinhas.

Foto 1. Marco fronteiriço 713-B. Lado de Portugal.
Foto 2. Marco fronteiriço 713-B. Lado de Espanha.
Foto 3. Ribeira de Abrilongo vista do lado de Portugal. O lado direito é o lado de Espanha.
Foto 4. Ponte antiga, de chapa, fotografada do lado de Portugal.
Foto 5. Ponte nova, fotografada do lado de Espanha. Com alguma dificuldade pode-se ver o marco fronteiriço no final da ponte.
Foto 6. Rua de El Marco, parte espanhola.
Foto 7. Casas alentejanas em El Marco (parte espanhola)
Foto 8. El Marco visto do Marco, com a ponte e o marco fronteiriço.
Foto 9. Café e posto dos Correios do Marco.
Foto 10. Comércio no Marco.
Foto 11. Campo de oliveiras entre as casas dispersas do Marco/El Marco.

domingo, 7 de Dezembro de 2008

"Rayanos": Um olhar sobre a Raia do ponto de vista da Extremadura espanhola

Interessante vídeo do programa Esferas da Extremadura Televisión, a televisão regional da Extremadura espanhola. Há um capítulo dedicado à Raia do ponto de vista da Extremadura espanhola, muito interessante. Tem uma duração de 39 minutos e é falado tanto em espanhol (maior parte do tempo) como em português.

Pode ver o vídeo aquí.


Espero que gostem!