terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Fronteiras: Elvas-Caia/Badajoz

Como começa a ser tradição, ou ao menos é o que parece, inicio este 'post' dando as boas-vindas aos novos amigos que me seguem pela Net. É a vez do Hotel Castrum Villae, um hotel de Castro Laboreiro que recomendo sem hesitar e um blogueiro da vizinha Extremadura espanhola, o Víctor Manuel, que tem um blogue absolutamente espantoso, com fotografias belíssimas da floresta e da fauna desta região tão abrangente como desconhecida e com a que o nosso querido Alentejo compartilha tantas coisas...

A fronteira de hoje é uma fronteira muito transitada (a terceira do país), entre Elvas e Badajoz. A divisão fronteiriça decorre pelo rio Caia, um afluente do Guadiana, pelo que é muito apropriado falar em fronteira do Caia (ou Caya, em espanhol). Esta fronteira apresenta duas passagens: a estrada antiga, que serve hoje para trânsito local, e a auto-estrada A6/A5, que faz uma curva um bocado esquisita, num intento de unir ambas as duas auto-estradas, a portuguesa e a espanhola.

A particularidade desta fronteira é o facto de ser o limite da cidade de Badajoz, que chega até ao mesmo rio, onde estão situados os prédios onde vivem os funcionários da Guardia Civil espanhola, para além da antiga alfândega. Lá perto fica também o parque aquático Lusibéria e o IFEBA, o pavilhão de feiras de Badajoz. Do lado de Portugal restam apenas uma área de serviço, que fica normalmente às moscas, pela diferença no preço dos carburantes, alguns cafés e a alfândega, se bem que muitas das habitações que lá existem infelizmente se encontram em mau estado. De lá até Elvas são apenas 6 km. até às Sochinhas, primeira zona habitada, antes de enveredar para a cidade e os fortes pela zonas industriais e comerciais que ficam ao lado, além dos restaurantes e alguma instalação hoteleira.

Trata-se de uma zona a requalificar, visto que vai concentrar, tanto no Caia português como no espanhol, a futura estação internacional do TGV Elvas-Badajoz da linha de alta velocidade Lisboa-Madrid, sendo que a estação de mercadorias vai ficar no lado português e a estação de passageiros no lado espanhol, mas com estrutura transfronteiriça, não excluindo a possibilidade de que parte da estação fique mesmo acima do rio Caia, para simbolizar essa abertura das fronteiras. Não podemos esquecer que isto vai ser realizado conjuntamente com a plataforma logística do Caia, também transfronteiriça, de 300 hectares no lado espanhol e 200 no lado português.

Esperemos que estes investimentos venham a modificar a pobre imagem que os nossos visitantes recebem assim que chegam a Portugal, com uma zona totalmente sem ser aproveitada e que poderia atrair novas infraestruturas, como a construção de habitações, espaços comerciais, etc. a beneficiar da proximidade de Badajoz, e a facilitar a expansão da cidade, mesmo em território português. Não devemos esquecer que já vivem muitos espanhóis entre nós e que os restaurantes e as lojas ficam cheios cada vez que há um feriado ou 'ponte' e a gostar da nossa gastronomia à boa maneira portuguesa. É claro que, com a crise, não há razão para muita esperança, mas vamos pensar pela positiva, e confiar em que estes investimentos contribuam para o desenvolvimento da região, uma região que não conhece fronteiras.

Para além de ser uma das fronteiras mais importantes de Portugal, esta é a última fronteira antes do rio Caia desaguar no Guadiana. Temos de lembrar que a foz do Caia é hoje o último ponto reconhecido pelo Tratado de Limites de 1864 e que não teve continuação no Tratado de Limites de 1927, que fixou as fronteiras entre a foz do Guadiana e a Ribeira de Cuncos. Entre o Caia e a Ribeira de Cuncos faltam por fixar cem marcos fronteiriços, mas duvido que isso venha acontecer alguma vez, já que Portugal não reconhece a soberania espanhola sobre Olivença, território que controla de facto desde 1801. Mas como este blogue não quer entrar em política, fica por aqui, limitando-se apenas a contar factos históricos.


Foto 1. Ponte sobre o Caia com indicação do limite fronteiriço e vista do rio Caia.
Foto 2. Pontes sobre o Caia (velha e nova) com indicação do limite fronteiriço.
Foto 3. Pontes sobre o Caia com vistas para o lado de Portugal.
Foto 4. Pontes sobre o Caia com vistas para o lado de Espanha.
Foto 5. Ponte José Saramago (auto-estrada) visto do lado de Espanha.
Foto 6. Posto fiscal do Caia (alfândega portuguesa) e auto-estrada A6 (Marateca-Caia).
Foto 7. Auto-estrada A6 em direcção a Elvas e Lisboa.
Foto 8. Antiga alfândega espanhola de Badajoz.
Foto 9. Auto-estrada espanhola A5 e instalações alfandegárias de Badajoz.
Foto 10. Cidade de Elvas vista do Caia espanhol.


Ver Fronteira Elvas-Caia num mapa maior
Mapa 1. Mapa de situação.

9 comentários:

  1. Thanks for leaving a comment in my blog!
    As regards Baarle-Nassau and Baarle-Hertog, I have already uploaded some views of such a particular place, in the page about "Belgio" or "Paesi Bassi".
    Besides, i wanted to inform You and Your readers that in the page http://pillandia.blogspot.com/2009/02/blog-post_9335.html there is the only area in the world in which 4 States meet in one unique point!
    Best wishes and have a good Christmastide!

    ResponderEliminar
  2. Que curioso. "Espantoso" significa cosas totalmente distintas en español y en portugés.

    ResponderEliminar
  3. Sí que es verdad que la zona de la frontera de Caia está un poco desangelada.

    ResponderEliminar
  4. Hi! Pilland. Thank you so much.

    I will have the pleasure of seeing these photos!

    ResponderEliminar
  5. Hola Toni. Ya te echaba de menos. Je. Je. Je. Je.

    Pues sí, en portugués, "espantoso" quiere decir sorprendente, llamativo, nada que ver con el significado en español. De hecho ya me he planteado hacer un pequeño divertimento con los falsos amigos en portugués y español porque hay cosas que son para partirte de risa.

    Por lo demás, suscribo tus palabras respecto a la zona de Caia. Por desgracia es así...

    ResponderEliminar
  6. Não consigo encontrar estes dados: quantos kms de fronteira tem cada uma das duas províncias extremenhas com Portugal. Sabe? Agradecia.

    Cumprimentos do lado espanhol da raia.

    Pedro

    ResponderEliminar
  7. Olá Pedro!

    Desculpa a demora na resposta. Fiquei intrigado com a questão, mas eu também não encontrei resposta. Só sei que a fronteira é de 430 km. entre Portugal e a Extremadura espanhola, sem distinção entre províncias. Se souber mais alguma coisa, eu digo.

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar